Andei lendo uns livros aí… #2

O concerto de João Gilberto no Rio de Janeiro – Sérgio Sant’anna [1982]

13833_gg1

Um dos livros mais aclamados de um dos meus escritores favoritos. Essa foi uma leitura que não tinha como dar errado, e já está entre as melhores desse ano – não pretendo fazer lista. É difícil resumir um livro que tem de tudo. É uma coletânea de contos, logo já se sabe que é Sérgio no seu habitat natural e tudo pode acontecer. Os textos têm aquela voz distinta do autor que, ao mesmo tempo, quase nunca se repete. As obsessões dele estão todas lá – o sexo, a arte, a escrita, o futebol -, mas sempre apontando algo novo, entre a ficção e a biografia, a narrativa e o ensaio, o formal e o coloquial. Um clássico da literatura brasileira escrito por um dos melhores autores vivos.

Leia um trecho: http://www.companhiadasletras.com.br/trechos/13833.pdf

Pé do ouvido – Alice Sant’anna [2016]

14071_g

Que inusitado eu falando de um livro no mesmo ano do seu lançamento. E mais, essa autora estava na primeira edição do “Andei lendo uns livros aí…”. Não podia ser diferente. Tendo lido Rabo de baleia, anterior da autora, quando fiquei sabendo desse lançamento, corri atrás. Não é uma coletânea de poesias, mas uma poesia só, longa (o livro tem 64 páginas), dividida em duas partes, a segunda como um epílogo. Assim como Rabo de baleia, Pé do ouvido trata, com leveza e imagens vívidas, de viagens (uma só, ao Japão, e a poesia da Alice carrega traços da poesia japonesa, sem metáforas, só imagens diretas), solidão, relacionamentos. A poesia da Alice captura imagens e sons ao redor como uma câmera e filtra tudo ao seus estilo, insere na história que a poesia conta, forma uma grande sequência sensorial de momentos e memórias.

Trecho: http://www.companhiadasletras.com.br/trechos/14071.pdf

A história dos meus dentes – Valeria Luiselli [2013/2015/2016*]

9788556520159

Queria tanto ter gostado mais desse livro. Porque não é ruim. O método de criação é inventivo. Foi feito como literatura de folhetim para os trabalhadores de uma fábrica – vocês podem pesquisar mais sobre o método, a história da criação do livro é bem interessante, talvez mais do que o livro em si – que participaram do desenvolvimento de enredo. A história, sobre a vida do melhor leiloeiro do mundo, Estrada, é divertida, leve. A prosa tem seus momentos. Mas o livro nunca me prendeu de verdade por nenhuma de suas características. Nada me chamou atenção. Li aos poucos, intercalando com outras leituras melhores. Não é um livro ruim, mas ou não é pra mim ou li no momento errado. Pretendo acompanhar o trabalho da autora, inclusive ler o outro livro que ela tem publicado – saber escrever ela sabe -, mas só indico esse para quem ler a sinopse e se interessar muito.

Sinopse (site não oferece trecho): http://www.objetiva.com.br/livro_ficha.php?id=1649

*2013 foi o ano de publicação do livro original, em Espanhol. 2015, em inglês, e a autora mudou um pouco o livro, acrescentando trechos aqui e ali, em parceria da autora com a tradutora. 2016 chegou ao Brasil, mesclando a edição original com a americana, para deixar o livro o mais completo possível.

Não foram todos os livros que li entre a primeira e a segunda edição dessa coluna, mas são os mais recentes, e as leituras que me achei capaz de falar um pouco sobre.

Antes de terminar a postagem, vou fazer uma coisa que nunca faço e indicar a quem estiver aqui que leia um conto meu, caso não tenha lido ainda. É um conto que escrevi faz tempo, mas foi um dos primeiros que escrevi com confiança. É raro que alguém comente nesse blogue, mas seria bom saber o que vocês acharam desse texto. Senão por comentário aqui, mande um e-mail, um sinal de fumaça, o que acharem melhor. Meios não faltam. Estou linkando a parte 3 – última -, porque ela tem os links pras outras duas partes:

https://deliriumscribens.wordpress.com/2016/07/27/confissao-no-quarto-219-parte-3-final/

Anúncios

3 comentários sobre “Andei lendo uns livros aí… #2

  1. “A história dos meus dentes” foi o que mais me chamou a atenção, num primeiro momento. Num segundo também mantive a curiosidade, porque achei interessante o formato. Apesar de não ter lido, entendo o que você disse sobre o método ser, talvez, mais interessante que o livro em si.
    Ler o que você disse sobre “O Concerto de João Gilberto” me fez pensar, pela centésima vez na vida, sobre o fato de eu não ter um autor favorito. Acho isso tão bacana, mas nunca me aconteceu…
    Por fim, dos três o que eu leria, se o tivesse em mãos: “Pé do ouvido”. Fiquei curiosa com uma poesia longa e de imagens diretas 😉

    Curtido por 1 pessoa

    1. Se te chamou atenção, não se deixe levar pela minha crítica. Não é um livro ruim, pode ser que você goste.
      Os outros dois, indico sem restrições.
      Um favorito, acima de todos, não tenho. Tenho aquela lista desordenada dos dez que mais me agradam, mas é bem variável. Ainda assim, acho o Sérgio Sant’anna o melhor escritor brasileiro vivo, pelo menos dentre os que conheço. Sugiro mesmo procurar uns contos dele, só pra decidir se é algo de que você gosta ou não.

      Curtido por 1 pessoa

      1. Vou procurar sim. Pra te ser bem sincera, depois da escola, eu parei de ter atenção aos autores, gêneros… Gostei da liberdade de poder ler o que quisesse, mas perdi esse lado que achava bacana de prestar atenção ao tipo de escrita de cada autor, tipo de leitura, época… Talvez, seja como a música, basta (re)começar!

        Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s