Poesia 14

embarque

gigante de metal, majestoso,

carrega seus criadores além do horizonte desconhecido,

passeia, diverte, distrai, flutua,

luta contra a natureza que com rajadas de vento e água te empurra de seu domínio,

força mecânica explorando e apavorando aqueles que não te entendem,

nativos que sentem sua invasão, rastejando com velocidade deixando bolhas e leves 

tremores,

passa por cima desse mundo, sem visão e sem mente.

ao longe, braços abanam, espalhando lágrimas e despedidas

retribuídas pelos que se encontram por cima de ti e te controlam,

razão do seu existir.

você é metal e não sabe de nada disso, apenas é, essa é sua função.

não sabe das explosões que comemoram sua partida nem da inspiração que você traz

àqueles que ficam, ó grande besta.

viaja sem saber até outro porto qualquer e depois volta e vai de novo

até que sua lata não aguente mais as pancadas da natureza que resiste as suas agressões

e você cai ou te derrubam e outra entra em seu lugar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s